Quase 70% dos brasileiros com acesso não usam internet móvel

Um estudo publicado no IDGNow! no dia 27 de outubro mostrou que quase 70% dos brasileiros que poderiam estar usando internet em seus celulares não o fazem. O estudo realizado pela Acision e apresentado na Futurecom 2010 aponta para um mercado potencial de 44 milhões de pessoas.

O estudo realizado com 2500 pessoas o principal fator de resistência é o preço55% apontam a web móvel como “muito cara”. Para 31%, ela simplesmente “não é necessária”. No entanto, o mercado pode crescer em breve, e rapidamente, pois 14% (6,1 milhões) estão “pensando em usar”, enquanto outras 7,3 milhões de pessoas não sabem das vantagens do serviço.

A pesquisa surpreendeu ao revelar que os níveis de satisfação com o serviço de internet móvel são semelhantes aos dos EUA e Inglaterra, mercados bem mais desenvolvidos. Há dois fatores para isso, aponta a pesquisa: a adoção no Brasil ainda é incipiente, portanto as expectativas são relativamente baixas; e o fato de a web móvel ser o único meio de acesso para 52% dos entrevistados – portanto, eles não a comparam com a banda larga fixa.

Entre os 22 milhões de usuários móveis, apenas 10% não reclamam de nada. Para os outros 90%, os problemas que mais irritam são lentidão (75%), falta de conexão (73%), dificuldade para permanecer conectado (68%) e falta de cobertura (67%). São níveis muito altos se comparados aos EUA e Inglaterra, aponta o estudo.

Aqui no Brasil, quase 40% dos usuários pagam por KB ou MB, contra apenas 4% na Inglaterra e meros 2% nos EUA. Além disso, outros 32% pagam penalidades se ultrapassam uma cota – logo, 63% usam um modelo “que penaliza o uso”, diz o estudo. Talvez por isso, 62% usem o serviço regularmente (mais de uma vez por semana), abaixo dos 70% dos EUA e 77% dos ingleses. A insatisfação com os preços atinge 45% dos consumidores – reclamação de 34% dos americanos e 22% dos ingleses.

A pesquisa mostra ainda que vídeo é uma preferência dos brasileiros – 44% assistem, mais do que na Inglaterra (36%) e perto dos americanos (49%). Nesse aspecto, o que mais incomoda os usuários é quando o vídeo trava (59%), seguido de atraso superior a 30s para iniciar (15%). De maneira supreendente, a qualidade da imagem é problema para apenas 3% dos entrevistados.

Há muito ainda que se investir na qualidade do serviço de internet móvel aqui no Brasil e é papel das operadoras satisfazer plenamente as necessidades de seus clientes e potenciais clientes.