O novo profissional da comunicação

A comunicação sempre foi necessária, tanto em grandes, como médias e pequenas empresas. Além disso, ela sempre existiu, mesmo antes de qualquer profissional minimamente especializado existir, afinal, comunicação é uma necessidade humana, e sempre foi.

Hoje entretanto o que percebemos é uma boom na comunicação e nas discussão sobre essa profissão, que não é só uma mas milhares. Jornalistas, assessores, publicitários, relações publicas, comentaristas, e as outras milhares de ramificações do mercado, fazem parte da realidade de um comunicador.  Atualmente essas profissões possuem cursos de graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado, e diversos cursos que profissionalizam e dinamizam o setor que não para de crescer, principalmente com o estouro das mídias sociais.

Essas duas palavras que somadas nos fazem pensar em toda a dinâmica de comunicação de temos quando ligamos nosso computador, vêm gerando discussões entre os profissionais da área, estudantes e estudiosos. É ou não necessário que haja um novo profissional na área?

Essa é uma discussão que não vai se acabar em um simples post, mas algo que se estenderá por muito tempo ainda, tempo esse que as mudanças e que a tecnologia muitas vezes não dá à sociedade. Rápido e em constante evolução,  o que já percebemos, independente do resultado dessas discussões, é um aumento enorme no número de profissionais e empresas que se especializam no trabalho com as novas mídias, pesquisando e fazendo cursos no exterior para melhor atuar nelas,  trazendo retorno para seus clientes, que buscam retorno em vendas e fidelização.

O que se entende no final de tudo é que esse novo profissional já existe – olha a gente aqui – e que a cada dia é mais solicitado pelo mercado e pelos consumidores. Esse profissional e suas ferramentas já conseguiram, inclusive mudar o perfil dos consumidores do mundo. Dessa forma negar a existência dele fica cada vez mais complicado.